11 janeiro 2023

Estelionatários fazem novas vítimas em Barreiras e Luís Eduardo Magalhães

 Os golpes somam mais de 20 mil reais. Entenda!


1º GOLPE

    Um morador de Luís Eduardo Magalhães, Oeste da Bahia, de 41 anos, diz que foi vítima de estelionato, caiu no chamado “golpe do intermediário”, ao fazer a compra de uma motocicleta modelo / HONDA CG-160 / Placa- PKM6668, no Marketplace (Facebook).

    Ele declara que entrou em contato com o proprietário e lhe pediu para mostrar a motocicleta, mas o mesmo disse que estava viajado e tinha deixando a motocicleta sob responsabilidade de sua prima, e que ele poderia procurá-la em seu local de trabalho para ver o veículo.

    Sendo assim, ele marcou para visitá-la por volta das 12 horas da segunda-feira (09), onde foi atendido por ela, a verdadeira proprietária da moto. Ainda relata que, tinha gostando da motocicleta, entrou em contato com sua esposa para fazer a transferência do dinheiro em uma conta/pix informada pelo suposto golpista.

    A transferência foi executada em favor de uma mulher com as iniciais B.R.L.S. no valor de 4.700,00 (quatro mil e setecentos reais). Ao mostrar o comprovante da transferência para a dona da moto, a mesma declarou que desconhece a receptora do dinheiro.


2º GOLPE

    Um pedreiro de 38 anos, morador do bairro São Sebastião, em Barreiras, também Oeste da Bahia, informou na delegacia do bairro Aratu, que foi lesado ao tentar adquirir uma máquina tipo Retroescavadeira CASE 580N, por meio do Consórcio Cooperativa Mista Roma, localizado na Rua Borges de Figueiredo/303/Mooca, São Paulo/SP, que lhe fez proposta de contemplação através de uma vendedora.

    O mesmo declara que a vendedora lhe induziu ao erro, ao afirmar para outra vendedora que se tratava de cota não contemplada e que efetuou o pagamento de entrada no valor de R$ 20.268,72 (vinte mil e duzentos e sessenta e oito reais e setenta e dois centavos), com promessa de receber a máquina dia 15/12/2022, com mais 90 boletos a pagar nos valores de R$ 1.900,00 (hum mil e novecentos reais) cada.

    O declarante ainda relata que após efetuar o pagamento via PIX, no valor supra citado, transferido de sua conta corrente do Banco Nu Bank, para uma conta do Bradesco, favorecendo à Cooperativa.

    A partir daí, não conseguiu mais falar com a suposta vendedora, que não atende seus telefonemas.

    Até o fechamento desta matéria, ele não recebeu a máquina retroescavadeira no seu endereço.


Fonte: Alô Alô Salomão

Nenhum comentário:

Postar um comentário