12 maio 2022

PANELAÇO: Professores Municipais Paralisam atividades pela segunda vez em Baianópolis como protesto pelo não pagamento de direitos


    Os professores da rede municipal de Baianópolis pela segunda vez consecutiva paralisam atividades amanhã (13/05) em busca do pagamento de direitos profissionais. Segundo os docentes, até o acordo de pagamento do rateio do FUNDEB não foi cumprido pela prefeitura, deixando os docentes indignados com a ingerência com os direitos que lhe são devidos.  E a prefeitura não quer reajustar o piso salarial de 33,24%. Até quando a Prefeita vai pisar nos direitos dos professores? A mobilização ocorrerá na APLB em Baianópolis na manhã desta sexta-feira com panelaço nas ruas de Baianópolis.

    Um professor questionou a Prefeita em rede social que "faz parte da lei (pec) que o município que não tem condições de pagar, esse deva recorrer a união, que por sua vez o fará. Houve diálogo em relação ao rateio da sobra do FUNDEB (bonificação) e esse não foi cumprido. Assim disse um munícipe: "pode alguém lhe oferecer 17% de algo que já é seu? - seria como alguém chegar em sua casa e dizer 'vim pegar 10% de seu carro para mim' situação incompatível.""

    E segundo informações a Prefeita por sua vez, publicou em rede social onde foi questionada sobre o prejuízo que as paralisações impactará na educação municipal que há tempos foi prejudicada pela pandemia do COVID. Assim, postou "...é importante compreender que não é tão simples, para o Município, a aplicação de um reajuste de 33,24% para apenas uma classe de profissionais. A prefeitura nunca se recusou a negociar um reajuste com a classe, inclusive já foi oferecido percentual de 17%, que foi recusado. É preciso esclarecer que todo reajuste sugerido pelo governo federal impacta diretamente na receita dos Município, porque quando aumenta o salário base, há um efeito cascata em todos os demais itens que compõem a remuneração dos professores, como, por exemplo, as progressões verticais e horizontais, as gratificações, as regências de classe, etc, garantidos pelo Plano de Cargos e Salários do Município." 

Texto/Imagem: Professores Baianopolenses indignados


Nenhum comentário:

Postar um comentário