19 setembro 2022

Professores NÃO ACEITAM de 15% e retornam às atividades normais em respeito aos alunos e pela perseguição financeira da prefeita de Baianópolis


    Na última assembleia informações não oficiais relataram que os professores tinham aceitado o reajuste de 15% proposto pela Prefeita de Baianópolis, sendo que essa informação não procede. 

     Na manhã de hoje (19/09) foi lido no plenário da Câmara de Baianópolis um ofício da APLB Baianópolis expedido no dia 19/06/2022 e remetido à Prefeita informando que por respeito aos alunos retornarão às aulas normais. O enredo é ainda acrescido pelo avassalador corte nos salários dos docentes que pesam demais no sutento familiar, e com isso, temporariamente retornam às atividades normais. A categoria cansada com o tamanho desgaste que isso vem causando, retorna pelo bem dos alunos. 

    E, porquê a Prefeita não recorreu ao MEC informando que não teria condições de pagar? Um cidadão entrou em contato com o MEC e a resposta é que não havia nenhum registro do município de Baianópolis informando que não teria condições de pagar, e relataram ainda na correspondência que o MEC está à disposição de qualquer município brasileiro para após análise e se for o caso, complementar o valor necessário. Logicamente, não é interessante em tempo  político, porque teriam várias demissões desnecessárias de cargos comissionados. Dá a entender que a Prefeita não está nem aí se vai ter paralisação ou greve, está faltando o devido respeito com a sociedade baianopolense. 

     A Prefeitura por sua vez deve encaminhar o projeto de lei onde é ofertado 15% (quinze por cento), mais os valores atrasados de janeiro a setembro de 2022. Projeto que será analisado pelos vereadores, que a maioria já deixou claro não votar favorável porque, além de ter sido recusado pela categoria, não iria de encontro a uma Lei Federal que propõe o piso salarial de 33,24%. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário